Junho 2017 ~ .:: www.edsoncharles.com.br ::.

Radio Estúdio Brasília

Confira as melhores músicas da capital!

Belezas da Capital

Veja as fotos dos pontos mais bonitos de Brasília

Poesias

Confira as poesias!

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Já Brinquei na Chuva Sem Medo de Tempestade


Quem nunca brincou na chuva na sua infância!

Eu morava na quadra 408 Sul, na Asa Sul em Brasília e tinha entre 6 e 9 anos de idade e tinha um amigo chamado Carlos Augusto que tinha deficiência auditiva. Em uma tarde de verão nos anos 70 caiu uma chuva torrencial e de alguma forma, não sei como, o "mudinho", como era chamado pelos amigos da rua, me convidou para brincar na chuva. Foi um momento mágico e divertido de minha infância, até que aconteceu um acidente. A rua estava alagada e com muita lama, e uma boca de lobo, que a gente chamava de bueiro, estava aberta, e eu, acabei caindo nela em meio a nossa brincadeira. A água me cobriu a cabeça e em um momento de instinto de criança, eu levantei os braços e meu colega me salvou de uma tragédia, me puxando para fora. Não fosse o "mudinho" eu não não estaria vivo para contar essa estória.
Aprendi então a brincar na chuva sem medo de tempestades e, entre 10 e 12 anos, já morando no Guará, cidade satélite de Brasília, eu insisti com minha mãe que eu queria soltar pipa (em alguns estados chamam de papagaio), e minha mãe me deu uns trocados para comprar papel de ceda e uns gravetos para que eu fizesse meu brinquedo. Como não tínhamos cola em casa a minha mãe fez um grude de tapioca para que eu colasse o papel de seda nos gravetos. A linha que utilizei era de costura e não aquela "fio 10" que os meus colegas usavam. Me lembro ter passado o dia todo naquela empreitada, e no meio da tarde eu fiz o meu brinquedo voar. Eu parecia um doidinho correndo na rua para empinar, até que o tempo foi fechando e formando chuva, e daquelas chuvas com ventania. O menino ingenuo que eu era viu na tempestade aquela pipa indo embora com o vento. Acho que foi a primeira e última pipa que soltei na minha infância.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

50 Desejos de Presente de Aniversário

Completei 50 anos dia 16 de junho de 2017 e como qualquer mortal eu gostaria muito de realizar algum desejo ou receber algum presente. Listei então alguns desejos absurdos os quais sei que ninguém me daria no dia do meu aniversário.

Eu podia até pedir uma graninha extra para pagar meu aluguel que vence no dia 25, mas isso não é um desejo fácil de realizar.

1 - Saltar de paraquedas;
2 - Fazer um voo panorâmico de helicóptero por Brasília;
3 - Viajar de trem de Belo Horizonte a Ouro Preto;
4 - Consertar e incrementar minha bicicleta elétrica;
5 - Conhecer a sede do Google e Youtube no Brasil;
6 - Ter um show de um artista ou banda famosa no quintal de minha casa;
7 - Ter parte da minha história contada em programa de televisão;
8 - Ter o perdão das minhas dividas de empréstimos, cartões e financeiras;
9 - Ter pelo menos 5 ternos;
10 - Renovar meu guarda-roupas;
11 - Oferecer um almoço para 50 familiares e amigos próximos;
12 - Poder trabalhar pelo menos uma vez por mês em entidade filantrópica;
13 - Ver meus canais de vídeo no Youtube ter grande visibilidade;

Quer me dar uma dica para os próximos desejos? Comente e acompanhe essa postagem


14 - Ir ao Programa Sílvio Santos e conhecer esse grande ícone da Televisão;
15 -
16 - 
17 -
18 -
19 -
20 -
21 -
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
25
26
27
28
29
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50

quinta-feira, 15 de junho de 2017

50 coisas sobre mim que você não sabia

Aqui as 50 coisas sobre mim que você não sabia e se já sabia é porque eu tive a confiança para contar aos meus amigos

E antes de mais nada, eu escolhi 50 coisas diante de estar completando meus cinquenta anos.

1 - Eu nasci em Brasília, DF no HRAS (hoje HMIB);
2 - Nasci no dia 16 de junho de 1967, mas no meu documento está 16/07/1967;
3 - Meu parto foi de fórceps;
4 - Tenho estrabismo de nascença;
5 - Quando comecei a falar a primeira palavra foi um palavrão;
6 - Já fiquei em creche de freiras;
7 - Fui filho de mãe solteira, até que ela se casou;
8 - Eu escolhi meu pai aos dois anos de idade;
9 - Morei na 408 sul, em Brasília, até meus 8 anos;
10 - Mudei para o Guará, cidade satélite de Brasília, em 1975;
11 - Minha mãe me deu mais 4 irmãos;
12 - Fiz xixi na cama até meus 12 anos;
13 - Aprendi  andar de bicicleta com meu amigo de infância Sergio Cardoso, na QE 13;
14 - Minha primeira pipa (papagaio), foi feita com linha de costurar, não durou o primeiro voo, pois soltei na chuva e não tinha muita linha para chegar longe;
14 - Sempre estudei em escola pública;
15 - Comecei a escrever poesias aos 12 anos, tendo como referência a biblioteca que meu pai tinha em casa, o qual eu lia Castro Alves, Cecilia Meireles, Carlos Drummond de Andrade...
16 - Já fiz escotismo, fui "lobinho", mas eu não era muito disciplinado;
17 - Apaixonei por música e pelo rádio aos 12 anos;
18 - Aprendi fotografia aos 14 anos;
19 - Já engraxei sapados do meu pai para ganhar uns trocados;
20 - Já lavei carro, vendi jornais na rua, vendia lenços que a minha mãe pintava, vendi calcinhas, e cortei grama para juntar dinheiro para a rodizio de pizza com os amigos, chegando a comer 52 pedaços de pizza, só para não pagar a conta em uma aposta;
21 - Era viciado em ligar para Rádios de Brasília e no disque amizade 1453;
22 - Já entrei sem pagar passagem de ônibus urbanos varias vezes;
23 - Comecei a fotografar profissionalmente aos 16 anos;
24 - Fiz Teatro Amador por três anos nos papeis: livro, soldadinho de chumbo e louco;
25 - Fui estagiário da Gráfica do Senado Federal na véspera do Trem da Alegria;
26 - Já fui calouro de programa de TV e fui buzinado;
27 - Já fiz testes para ser locutor de Rádio e fui reprovado várias vezes;
28 - Já trabalhei em imobiliária como indicador de imoveis;
29 - Já fui fotógrafo de cine foto o qual tirava de fotos para documentos a fotos artísticas;
30 - Já fiz estágio como Cinegrafista em TV local;
31 - Já montei transmissores de rádio pirata para ouvir minha voz no FM;
32 - Já tive minha Rádio Comunitária e participei do processo de legalização de Rádios Livres e Comunitárias e, mesmo com a ilegalidade, nunca fui preso ou processado por isso;
33 - Fiz concurso público para a FHDF - Secretaria de Saúde e passei em primeiro lugar para o cargo de Fotógrafo Laboratarista;
34 - Já fui noivo e levei chifre;
35 - Já tive Estúdio Fotográfico, que não vingou pelo fato de ter sido furtado;
36 - Me casei pela primeira vez e fui pai aos 25 anos;
37 - Já tive apartamento financiado e fui síndico;
38 - Já fui Diretor de Capacitação da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária no DF;
39 - Fui diretor de Associação de Pais e Mestres;
40 - Passei em vários concursos para cargo público, mas só assumi o da FHDF em 1987 e o da Câmara Legislativa do DF em 1997, ambos para trabalhar com fotografia;
41 - Fui pai pela segunda vez em 1998;
42 - Nunca fui mulherengo, mas já traí quano fui casado;
43 - Me separei aos 39 anos;
44 - Trabalhei em Rádio Comunitária no interior do Goias;
45 - Já abortaram um filho meu (atitude que jamais apoiei);
46 - Já fui locutor em Rádio Comunitária e Diretor Artístico, responsável por treinar novos comunicadores;
47 - Eu estou na internet desde 1990, tenho blogs na internet, canais no youtube e Trabalhei em Rádio Web, que após uns anos montei minhas próprias Rádios na internet;
48 - Meu terceiro filho nasceu em 2010, fruto de uma união estável;
49 - A mãe do meu último filho me abandonou com ele quando o mesmo tinha 4 anos completos;
50 - Encontrando a pessoa certa, pretendo me casar..


segunda-feira, 12 de junho de 2017

Vamos Falar de Amor com Música

Quem nunca teve uma musica marcante em sua vida?
E o dia dos namorados é aquele dia que aparece alguém para cantar ou para tocar seu coração com uma lembrança



No Brasil o dia dos namorados surtiu no calendário bem na véspera do dia de Santo Antônio (13 de junho), conhecido por aqui como o santo casamenteiro e, não tem muito a ver como o dia de São Valentim que era um bispo da Igreja Católica que foi executado depois de ter se apaixonado pela filha do carcereiro, no século II, só porque escrevia cartas de amor, isso nos Estados Unidos, que se comemora em 14 de fevereiro.
Nos bons tempos do rádio, os enamorados ligavam para oferecer uma poesia, frase ou até uma musica para aquele amor distante ou bem pertinho. Seja daquele momento a dois no carro ou num fim de noite e até em um evento, sempre surge uma música marcante. E entrou pelos ouvidos leva-se a lembrança ao coração.
O comercio atualmente não investe na musica, (que é algo que fica marcante e imortal) e sim em lembranças físicas, como uma cesta de café da manhã, um passeio e até para aqueles que querem ostentar algum poder: um carro.
O amor virou comércio banal e perdeu um pouco do romantismo, diferente daqueles momentos onde uma serenata ao luar e de graça, que marcaram cenas de filme, não existem mais.

Não perca tempo, ofereça uma musica ao seu amor.



quarta-feira, 7 de junho de 2017

Você Ainda Escreve Cartas?

Há mais de 30 anos, antes que existir a internet para todos, eu escrevia cartas. Cheguei a abrir uma caixa postal para receber carta de todo o Brasil e o mundo.
Os endereços eu encontrava nas revistas que comprava nas bancas.
Eu sempre ia aos Correios ansioso para ver se tinha chegado respostas dos amigos que eu fazia. Chegavam a ser 70 cartas por semana, onde eu conseguia me comunicar com gente que nunca tinha visto. Algumas poucas eu pude conhecer pessoalmente, outras não.
Algumas pessoas se formaram, casaram e outras morreram e, de alguma forma eu também tive que seguir meu caminho, o que fez com que eu perdesse o contato com eles. Era muito legal trocar cartões postais, papeis de carta, recortes de revista...
Quando a internet chegou eu cheguei a pensar que iria ter tantos amigos quanto aqueles que eu fazia por correspondência, que receberia e-mail com poesias e fotografias, pensamentos, mas surgiu uma coisa que eu jamais imaginava acontecer: que surgiriam redes sociais, e que algumas pessoas teriam a possibilidade de se afastarem umas das outras diante pensamentos divergentes.